A Leishmaniose é uma doença provocada por um protozoário (parasita microscópico) do género Leishmania, que infecta canídeos e ocasionalmente o gato e roedores. Além disso a Leishmaniose é uma zoonose, ou seja, pode infectar o Homem, principalmente indivíduos imunodeprimidos, já que o nosso sistema imunitário, quando activo, consegue combater o parasita de forma eficaz, ao contrário do sistema imunitário do cão que não tem essa capacidade.
Como se transmite?

O único modo de transmissão conhecido, ocorre através da picada de um mosquito da família Phlebotomidae (mosca de areia), como tal, o canídeo só fica infectado em zonas onde existem estes mosquitos e a transmissão ocorre apenas durante os meses quentes (de Março a Outubro), e geralmente este mosquito se alimenta pouco antes do nascer do sol e logo após o pôr-do-sol (lusco-fusco).
De igual modo, o Homem só pode ficar infectado, quando picado pelo mosquito infectado. ( o que é pouco provavel e nao há conhecimento de humanos infectados)
Quais os sintomas?

É importante referir que a Leishmaniose pode ser assintomática, ou seja, cães infectados podem não apresentar sinais de doença.

Nos casos sintomáticos, existem lesões ao nível de muitos orgãos, já que a Leishmania tem a capacidade de se distribuir por muitos sistemas orgânicos. Assim, animais com lesões de pele, hiperqueratose nasal e/ou digital, queda anormal de pêlo, crescimento excessivo das unhas, perda progressiva de peso, apetite diminuído, intolerância ao exercício, depressão, problemas oculares, corrimentos nasais, hemorragias pelo nariz (epistaxis), diarreia, vómitos ou animais que bebam muita água e urinem em demasia, devem ser levados ao veterinário para despiste da Leishmaniose.

Como se previne a Leishmaniose?

Apesar de já contarmos com uma vacina contra leishmaniose (leishmune) é necessário adotar outras as medidas preventivas.
Como esta doença se transmite pela picada de um mosquito, é essencial proteger o nosso fiel companheiro, durante as horas críticas (quando o mosquito se alimenta), ou seja, durante o final da tarde, noite e princípio da manhã. Assim deve-se evitar manter os cães ao ar livre durante estes períodos do dia, principalmente nos meses quentes.
No caso do animal pernoitar num canil, este deve ser protegido por redes mosquiteiras, repelentes e/ou insecticidas. Como alternativa, existem coleiras (Scalibor) e produtos (Pulvex e Advantix) repelentes de insectos que impedem as picadas.

Mosquito trasmissor
É uma doença crónica debilitante, que, caso não seja acompanhada pelo Médico Veterinário, pode levar à morte do nosso melhor amigo.
Rua Almirante Alexandrino, 10 • Gutierrez • Telefax: (31) 3292.2858 • Belo Horizonte • Minas Gerais • 30430-020
Veja também: o que é o glaucoma?
Veja também: o seu animal coça muito, a ponto de se ferir?